Chapecó: falta de diálogo com prefeito João Rodrigues leva servidores à greve por tempo indeterminado

postado em: NOTÍCIAS | 0

Os servidores municipais de Chapecó estão em greve desde a segunda-feira, dia 20 de março, após um período de tentativas frustradas de diálogo com o prefeito João Rodrigues, sobre as reivindicações da categoria. Entre os pedidos, os trabalhadores solicitam que sejam feitas emendas a projetos que atacam o Plano de Carreira, além da reposição de 7,50% para todo o quadro de servidores.

Nesta segunda-feira (20), uma manifestação em frente à Câmara de Vereadores fez com que a votação do Projeto de Lei Complementar 04/2023 fosse adiada. Porém, tanto este projeto quanto o PLC 03/2023, também em tramitação na Casa, representam um ataque ao Plano de Carreira dos trabalhadores do município, com a retirada de diversos direitos.

As emendas aos dois projetos de lei visam a manutenção do Plano de Carreira vigente, a reposição da perda salarial e o pagamento do Piso Nacional para todos os profissionais do magistério, o que seria viabilizado com reajuste de 7,50%.

A Federação dos Trabalhadores Municipais de Santa Catarina (Fetram-SC) está acompanhando o movimento grevista dos servidores municipais de Chapecó. Na avaliação da presidente da Fetram-SC, Sueli Adriano, é lamentável que o governo municipal, por falta de abertura ao diálogo, deixe a greve como única opção aos trabalhadores. “Os servidores, representados pelo sindicato, merecem ser respeitados e devem ser recebidos pelo prefeito para tratar sobre a pauta de reivindicações, que é legítima”.

A Fetram-SC reforça seu posicionamento em defesa dos trabalhadores e trabalhadoras municipais de Chapecó e acredita que a categoria, representada pelo Sitespm-CHR, sairá vitoriosa e fortalecida deste movimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

vinte − 13 =