Servidores municipais de Chapecó e região aprovam participação da categoria no Dia Nacional de Luta, em 18 de agosto

postado em: NOTÍCIAS | 0
Trabalhadores da base do Sitespm-CHR participaram de Assembleia Geral formativa e deliberativa sobre a PEC 32

A Assembleia realizada na noite da última segunda-feira (9),  contou com a  participação de mais de 200 lideranças  dos 43  municípios da base organizada do Sindicato. Na primeira parte do encontro, o professor Lizeu Mazzioni  apresentou  um estudo sobre a Proposta de Emenda Constitucional 32 de 2020, conhecida como PEC 32, da Reforma Administrativa.

Segundo a  análise do professor Lizeu Mazzioni, “a PEC 32 apresentada pelo governo Bolsonaro, trata o serviço público e o servidor público efetivo como o grande problema  para o Brasil. E a partir dessa mentira, quer destruir o servidor público efetivo e o serviço público prestado diretamente pelas prefeituras. Também acaba com a separação do dinheiro público do dinheiro privado e quer dar aos prefeitos o poder absoluto para fazer qualquer negócio nas prefeituras. Na prática, com a PEC 32, o governo Bolsonaro quer destruir o servidor público efetivo, o serviço público e a democracia”.

Após estudo, debate e manifestações, os servidores presentes na Assembleia deliberaram que o Sindicato e os Servidores Municipais precisam priorizar a luta contra a PEC 32 no próximo período. Foi aprovado a produção de materiais digitais e físicos para denunciar a PEC 32 e suas consequências. Também foi aprovado a participação no Dia Nacional de Luta contra a PEC 32, no dia 18 de agosto, com manifestação na praça central de cada cidade, no final do expediente, no final da tarde.

Entre outras ações, a mobilização dos servidores municipais cobrará dos deputados/as o voto contra a PEC 32.

A Presidenta do Sindicato professora Vania Barcellos falou sobre a precarização do Serviço Público que a PEC 32  trará. “Se for  aprovada,  significará a destruição dos serviços públicos nos municípios devido a desqualificação dos serviços prestados à população que serão realizados por trabalhadores com contrato de trabalho instáveis, pois poderão ser demitidos a qualquer momento e em sua grande maioria serão constituídos por cargos de confiança político partidária, os conhecidos cabos eleitorais que estarão a serviço da sigla partidária do prefeito e não da população, aliado a isto abrirá cada vez mais as portas para a terceirização e privatização dos serviços nas prefeituras, afinal é isto que prefeitos empresários querem”.

#Somos todos, todas e todes contra a PEC 32!

Em defesa do Serviço Público e da valorização dos trabalhadores e trabalhadoras – Fora PEC 32!

 

Com informações da Assessoria de Imprensa Sitespm-CHR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezoito + 17 =